p.s: eu amo-te


Lá está ela, tenta de novo fazer com que me junte a ti, recuso. Passam cinco minutos, retomo e aí sim pego no telemóvel, início uma longa mensagem, aparentemente sem destinatário. Acabo, releio, envio (ansiando pela resposta). Sucedem-se dez, vinte, uma hora até que foram dias e semanas.
Com este tempo todo de espera começo a esquecer o que acontecera… por fim não resta mais nada.
Novamente, lá está ela a ‘nossa’ desejada balada, gasta por ouvidos de terceiros mas entre nós desprezada. Ouço vezes sem conta e quando relembro, com aquela simples melodia, ouço o telemóvel a dar sinal de uma nova mensagem “ estás no meu coração como uma simples tatuagem. Mais do que nunca agora sei o quanto errei. Talvez seja demais pedir que me perdoes mas só quero lutar por um passado (presente) inacabado. P.S.: eu amo-te.“ As lágrimas molhavam a cama, nao se ouvia o mínimo dos ruídos.
Até hoje a música continuou sempre a tocar...

3 comentários:

mariana disse...

esta mesmo giro *.*
ADORO-TE GEMEA (L)

mariana disse...

cada vez mais parecidas , irma igual (a)

Pêjotinha' disse...

Adorei :$