preciso só de ti.

Estávamos nós debaixo do mesmo m2. Respirávamos o mesmo ar e conversávamos sobre o mesmo assunto, não juntos. Não conseguiríamos dizer a mais simples palavra?
E os olhares cruzavam-se com a luz que atravessava a janela. O silêncio repentino cortava-nos as respirações simultâneas. Por fim o bater do coração no mesmo compasso.
Era incapaz de dar um passo na mesma recta que tu davas. Queria abraçar-te mas escorregavas-me por entre os dedos. O teu alcance era uma missão impossível. Até que consegui andar na mesma linha curva que tu, e já não eras como agua a escapar das mãos.
A pressão acumulava-se, a voz não saia, os braços nao tomavam o movimento. A confiança não era a mesma, existia um pontinho de nós sempre na dúvida. Esse minúscula partícula entre nós conseguia fazer com que a distância (aparentemente menos de 20ct) fosse maior que a do Pólo Sul ao Pólo norte. Fazia milhares de coisas que abalavam cada vez mais a nossa relação.
A música de fundo que te inspirava nas palavras mas, esganavam-te a garganta com umas luvas brancas. Tentava vezes sem conta agarrar-te, puxar-te mas no fim não conseguia. Rebolavas pelas escadas e ficavas a olhar para mim com um ar de criança perdida. Caíamos nos braços um do outro como se não houvesse amanha e assim ficávamos a tarde inteira. Se tenho saudades!
A atmosfera que nos envolvia era de uma intensa pressão. Lamentável era o facto de termos perdido, sim perdemos. Perdemos a única união que nos ligava e o único sorriso que nos juntava. Perdemos ainda a tão forte cumplicidade. Não existia mais nada que pudéssemos perder, tudo tinha sido em vão mesmo a nossa amizade.
Supliquei-te 1001 vezes para voltares. Traz-me de novo esse teu sorriso, abraça-me sem pensar nas consequências mas fica. Fica hoje, fica amanhã. Fica todos os dias. Fica aqui, fica do outro canto do mundo mas fica comigo. Leva-me de novo aos teus esconderijos ou até nem leves a lado nenhum. Deixa-me explorar a tua enorme sabedoria. Peço-te apenas uma coisa volta. Volta ao que eras, volta ao que éramos.
Vou ficar à espera o tempo necessário, merecemos tanto nós como tu uma nova oportunidade.
( best friend )

1 comentário:

catarina santos disse...

"Vou ficar à espera o tempo necessário, merecemos tanto nós como tu uma nova oportunidade"

esperar resolve, aliás, esperar faz crescer, esperar faz reflectir, esperar faz obter algo e/ou até dar valor ao q realmente merece. esperar torna-se na nossa maior virtude e na nossa maior experiencia de vida. esperar torna-nos tão impacientes como calmos, esperar transforma. e o esperar não significa rastejar nem a entrada em ilusoes, o esperar torna-se tao imperativo como o verbo amar. e a passagem de tempo durante a espera ajuda-nos (oh, se ajuda!). o desgostar do esperar é comum e pensamos todos tal e qual desta forma "odeio esperar", mas a aprendizagem do mesmo torna-nos tão cultos como as melhores pessoas do mundo! nao tenhas medo de esperar, - esparar nunca significou o parar da vida e o parar do momento - é uma pausa ligeira, uma interrupção para definirmos o que sentimos e o que pensamos.

és imenso <3