nicholas sparks

" Em retrospectiva, relembrou episódios que gostaria de modificar, lágrimas que gostaria que nunca tivessem sido derramadas, tempo que poderia ter sido mais bem aproveitado, frustrações que poderiam ter sido evitadas. A vida, segundo lhe parecia, era um mar de remorsos e gostaria de puder fazer o relógio do tempo recuar e voltar a viver parte da sua vida"




"a razão por que dói tanto separarmo-nos é porque as nossas almas estão ligadas. Talvez sempre tenham estado e sempre o fiquem. Talvez tenhamos vivido milhares de vidas antes desta, e em cada uma nos tenhamos reencontrado. E talvez que em cada uma tenhamos sido separados pelos mesmo motivos. Isto significa que esta despedida é, ao mesmo tempo, um adeus pelos últimos dez mil anos e um prelúdio ao que virá.
Quando olho para ti vejo a tua beleza e graça, e sei que cresceram fortes em cada vida que viveste. Eu sei que gastei todas as vidas antes desta à tua procura. Não de alguém como tu, mas de ti, porque a tua alma e a minha têm que andar sempre junta. e assim, por uma razão que nenhum de nos entende, fomos obrigados a dizer adeus um ao outro. Adoraria dizer-te que tudo correrá bem para nós, e prometo fazer tudo o que puder para garantir que assim será. Mas se nunca nos voltarmos a encontrar e isto for verdadeiramente um adeus, sei que nos veremos ainda noutra vida. Iremos encontrar-nos de novo, e talvez as estrelas tenham mudado, e nos nao apenas nos amemos nesse tempo, mas por todos os tempos que vivemos antes"

1 comentário:

catarina santos disse...

"Mas se nunca nos voltarmos a encontrar e isto for verdadeiramente um adeus, sei que nos veremos ainda noutra vida."

uma coisa que aprendi com a vida foi que as zangas jamais serão eternas. nunca há um "adeus para sempre", até porque cada um de nós sabe que vivemos numa terra em que toda a gente se encontra ao virar da esquina. o desígnio da tua vida está escavado entre rochas, até podes não ter acesso a ele, mas se há coisa que sabes sempre é que mais cedo ao mais tarde o reencontro será inevitável. não é necessário que seja noutra vida, para lá do infinito. a verdade é que não há mal que dure para sempre, e haverá uma pequena troca de impressões no dia em que menos esperares. sabes, todos nós humanos temos sentimentos e nao somos indiferentes a tal. se há sentimento que nos persegue no nosso dia-a-dia, é o de "saudade". tu, no fundo, é isso que sentes. o facto de saberes que se irão voltar a encontrar, é sinal de que a saudade aperta. e se sentes que a outra pessoa virá atrás, é porque esse sentimento é recíproco. até lá. vive a vida, nao te baseies em incertezas, intermédios nem percas tempo a tentar desvendar os mistérios do destino. não o conheces nem ninguem tem poder de o conhecer. por isso, naom percas tempo. quando menos desejares, a outra pessoa irá encontrar-se contigo e aí, o discurso será inevitável.

loveyousis