como sempre

Não posso contar os dias em que me esqueci do que éramos nem contar as vezes que suspirei a tua falta. Mentiria se dissesse que alguma vez achei que já não te amava como sempre o fiz apenas aprendi a lidar com a tua ausência assim como também consegui voltar a aprender a ter-te comigo.
Senti a falta do arrepio que me causavas na barriga sempre que me apertavas contra ti. Senti a falta do nosso Outubro preenchido por emoções que nós mesmo fazíamos causar, foste o meu abrigo em todos os dias de chuva e de rajadas de vento. Ainda me lembro dos pormenores com precisão das expressões que usavas na altura e o perfume que usei naquela noite que ainda mantenho até hoje. Aliás, eu nunca me esqueci de ti nem te pus de parte em qualquer circunstância. Mas afinal o que é nosso volta sempre e tu chegaste a vir num dia chuvoso de Outono. No exacto dia que vieste há um ano atrás contrariamente um dia de sol e céu limpo. Desta vez quero que não partas em qualquer estação, quero que acompanhes as minhas vestes variadas de estação em estação. Quero, acima de tudo, que continues comigo em todas as vezes que o sol se puser e erguer de novo mesmo que nesse dia o sol seja substituído por nuvens escuras. Espero poder também ver os teus caracóis crescerem e sei que vamos celebrar imensos dias “4”.
Afinal de tudo, your heart is fast just like mine

3 comentários:

catarina santos disse...

sabes, o nosso primeiro grande amor nunca se esquece, e nem o tempo apaga os sentimentos. (sabes bem)
assim como sabes que dou-te o meu maior tesouro e valor por seres a miuda fantastica que és.
Se eu fosse a dona do Mundo, era a ti a quem eu o confiava no dia em eu que partisse.
LOVE YOU,

mary ♥ disse...

está perfeito. maravilhoso *.*

Verinha disse...

e sublinho por baixo, o primeiro e verdadeiro grande amor, permanece sempre.
:) amo-te