os teus dilemas *

A minha paciência esgota-se facilmente contigo. Irritas-me quando estou bem disposta e tu dizes «temos que falar» e já sei que vou ficar quarenta minutos sentada na tua cama vendo-te desgastar o chão do teu quarto. Confesso que por vezes nem te ouço apenas observo as tuas expressões sempre que falas em algo sério ou reparo na maneira que te movimentas quando me trazes à memória os nossos dezasseis anos pelo teu andar simples e desajeitado.
Falas, falas e continuas com o teu diálogo de pessoa de meia-idade que está sempre a lamentar-se dos jovens de hoje em dia. És insuportável, és repetitivo, és demasiado perfeccionista. E os teus defeitos somados às tuas manias multiplicando pelos teus vícios... fazem-me perder a cabeça! Não fazes ideia do tormento que é chegar a casa depois de um dia cansativo e assistir às tuas lamentações sobre o trânsito devido às obras do metro.

Contradizendo-me, não viveria sem os teus dilemas e tu sem a minha "não-paciência". Mas deixa-me aproveitar enquanto estás muito atento a ouvir-me para te dizer o quanto gosto de ti e por vezes o quanto adoro ouvir-te - quando a minha pachorra o permite.

1 comentário:

mary ♥ disse...

as seguintes também não foram grande coisa :/

adorei !