e já que falamos *




"Vem fazer de conta" e acredita em mim, a vida deve ser levada com olhar de puto. Dá-me tempo para que te mostre quem sou. Temos empatia, quem sabe se um dia a nossa simetria não acaba em sinfonia. Sempre gostaste de brincar em perigosos terrenos em relação a isso eu não sei o que fazer.
Sei que é cena fora mas todo o dia chega a hora em que o lado esquerdo chora quando se lembra de nós. Pode ser que o passado fique por onde deve estar: o pretérito imperfeito, já que não é mais-que-perfeito este é um presente que eu aceito. A verdade é que a saudade do que passou não é mais que muita e já que falo por eufemismos gostava de dizer que ainda gosto bastante de ti..."

2 comentários:

Verinha disse...

E nem sei que comentário hei-de poder escrever. É realmente complicado ter palavras suficientes para este momento, para esta etapa, para esta história. Se calhar o silêncio é o de melhor que te posso oferecer, e como tal, amo-te minha pequena!

catarina santos disse...

Bem... está lindo na medida em que transparece totalmente o que sentes neste momento. E como disse a Verinha e muito bem, neste momento nem há palavras que possam ser ditas...
mas independentemente de tudo, estou aqui e amo-te menina da minha vida *