vera.

À seis meses atrás não pensava que te ias tornar assim tão indispensável na minha vida.
Deste tanto de ti por mim, pela nossa amizade. Mudaste a minha maneira de ser, lidar comigo e com os outros. Sem saberes quem sou, de onde venho, porque apareci na tua vida.
Sentia que eras diferente de tudo que tive, com um abraço logo no primeiro dia foi parte de ti, mim que descobri.
Começas-te a ser o meu dia-a-dia, a minha confidente, a pessoa em quem mais confiava.
Deste-me o teu colo sem pedir, limpaste-me as lágrimas sem saberes, ajudaste-me em tudo sem percebermos, deste-me a mão sem me tocares, não pediste nada em troca.
Esse teu dom fez-me ‘apaixonar’ por ti e pela grande pessoa que és.
E fica tudo mais normal e pacífico quando estou contigo, quantos nos sentamos no nosso cantinhos e falamos falamos sem ter noção das horas e me enches de beijinhos com a mão dada.
Deixe-me chorar, na altura não percebi. Dei-te o maior abraço que alguma vez dera, chorei ao dar-to e sabes porquê? Para além de estar a morrer de saudades tuas percebi (finalmente) que eras/és a pessoa mais importante da mina vida. Senti a tua falta, da tua presença aqui a meu lado.
Agora entendi que não te quero largar nem nunca te vou largar por nada.
Um obrigado não chega por tudo nem por metade do que és e do que transmites. Nem é preciso dizer que quando precisares estarei sempre ao virar da rua mesmo que não esteja lá estarei sempre contigo minha.
Meu anjo da guarda, minha tudinho, minha melhor amiga por tudo e com tudo eu amo-te (putz).
" Dás tanto em troca de tão pouco "

1 comentário:

Cátia Vieira disse...

está muito bom mesmo, adorei! fantastico, parabéns (:

beijinho*